Notícias

24/09/2020 14h48

DOAÇÕES DA BRF APOIAM TRÊS PESQUISAS DA UNIVATES CONTRA A COVID-19

Universidade em Lajeado busca o desenvolvimento de exame mais rápido, de medicamento e de alternativa para desinfecção

Imagem de destaque

Em julho, a BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, doou R$ 100 mil para o desenvolvimento de estudos e projetos relacionados à Covid-19 e à saúde pública ao Parque Científico e Tecnológico do Vale do Taquari (Tecnovates) da Univates, em Lajeado (RS). Dois meses depois, o investimento se reflete no avanço de três projetos que podem resultar em benefícios da sociedade: um busca um exame mais rápido e acessível para detectar o vírus, outro o desenvolvimento de medicamentos e o terceiro uma alternativa para desinfecção. A doação da empresa faz parte dos R$ 7 milhões destinados para fundos de pesquisas dos principais centros de estudos brasileiros direcionados a protocolos de tratamento, diagnóstico e desenvolvimento de medicamentos de combate ao novo Coronavírus.

 “A doação realizada pela BRF permitiu colocar à disposição da sociedade uma quantidade de informações e de testes que aumentaram a capacidade de entendimento do comportamento do vírus e sua disseminação", resume o diretor de Serviços em Saúde da Univates, Jairo Hoerlle.

 Conheça os três projetos que receberam os recursos da BRF:

 Por um diagnóstico mais rápido e barato

 Até agora, a BRF é a única fonte de financiamento externo recebido por um projeto que procura um exame mais rápido e barato para detectar o vírus pela saliva, em vez da secreção coletada do nariz e da garganta utilizada pelo RT-PCR. Com o projeto, sob o título Detecção do vírus da Síndrome Respiratória Corona Vírus-2 por Espectroscopia no Infravermelho com Transformada de Fourier, a professora Daiane Heidrich, doutora em Medicina, busca uma tecnologia alternativa que possa ser utilizada pela população do Vale do Taquari, por meio do apoio e interesse das redes municipais de saúde, e mesmo fora da região.

 "Em uma única aplicação de saliva de um indivíduo no equipamento FT-IR, serão obtidos resultados relacionado à detecção de SARS-CoV-2 em poucos minutos de avaliação espectral. Além da maior rapidez, a utilização da ferramenta FT-IR gera menor custo e menor impacto ambiental com a mesma robustez, sensibilidade e especificidade do que o RT-PCR", explica Daiane.

  Por novos fármacos

Os pesquisadores Marcia Inês Goettert, João Antonio Pêgas Henriques e Luis Fernando Saraiva Macedo Timmers irão trabalhar na anotação funcional dos genomas do vírus SARS-CoV-2, isolados em diferentes regiões do Brasil, por meio de análises de bioinformática com o intuito de analisar mutações específicas no genoma do vírus. A partir das mutações encontradas, os pesquisares ainda irão buscar novas possibilidades de fármacos, em parceria com universidades internacionais. Os recursos doados pela BRF se destinam a adquirir material importado para parte do desenvolvimento do projeto.

Ozônio para a desinfecção e sanitização

A diretora de Inovação e Sustentabilidade da Univates, professora Simone Stülp, doutora em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais, coordena um projeto, em conjunto com uma startup instalada no Tecnovates, a Alvap, que investiga a adoção do ozônio para a desinfecção e sanitização. O manejo do ozônio, pela Alvap, é utilizado para a limpeza de frutas, purificação de água, utilização na indústria e na agricultura.

A professora Simone Stülp ressalta que o investimento da BRF para o Tecnovates é uma aproximação com o Hub de Inovação da BRF, conectado com as áreas prioritárias do Parque Tecnológico, e bem-vindo em área de extrema necessidade neste momento de emergência sanitária.

O BrfHub é o braço de inovação aberta da BRF, que procura diariamente conectar a empresa com novos estudos e tecnologias. “Acreditamos no poder da ciência nacional e apoiamos iniciativas inovadoras, com base científica, que auxiliem toda a sociedade, com o desenvolvimento de pesquisas para a descoberta de protocolos de tratamentos eficazes e novos medicamentos para combater a Covid-19”, afirma Stephanie Blum, gerente de Inovação da BRF.

O diretor de Serviços em Saúde da Univates, Jairo Hoerlle, destaca a interação entre a BRF e a universidade:

“Parcerias como esta permitem que a sociedade melhore, que soluções sejam propostas e que projetos bem articulados viabilizem melhores práticas e formas de tratamentos. A parceria da Univates com a BRF, além desse ganho social no momento da pandemia, está servindo de base para uma maior aproximação entre essas duas tão importantes organizações para Lajeado e para o Vale do Taquari. Outras possibilidades de mútuo apoio e envolvimento poderão surgir sempre com vistas ao benefício de amplas camadas da sociedade.”

A doação para a Univates faz parte dos R$ 50 milhões anunciados, em abril, pela BRF em distribuição de alimentos, insumos médicos e apoio a fundos de pesquisa e desenvolvimento social, para contribuir com os esforços de combate aos efeitos da pandemia. A iniciativa alcança hospitais, organizações de assistência social e profissionais de saúde nos estados e municípios em que a empresa possui operação. Dentre os contemplados, além da Univates, estão a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, o Instituto Butantan e o Hospital das Clínicas, em São Paulo.

 Sobre a BRF

Maior exportadora global de frango do mundo, a BRF possui marcas icônicas como Sadia, Perdigão e Qualy.  Seu propósito é oferecer alimentos de qualidade cada vez mais saborosos e práticos, para pessoas em todo o mundo, por meio da gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa, que proporciona vida melhor a todos, do campo à mesa. Pautada pelos compromissos fundamentais de segurança, qualidade e integridade, a Companhia baseia sua estratégia em uma visão de longo prazo e visa gerar valor para as comunidades em que atua, seus colaboradores e integrados, acionistas e para a sociedade.