Notícias

24/03/2021 10h13

JORNADA DIGITAL DA BRF LEVA AUTOMAÇÃO COMPLETA DO CAMPO ÀS FÁBRICAS

Unidade de Lucas do Rio Verde (MT), uma das maiores da América Latina, passou a contar com ambiente 100% conectado

Imagem de destaque

A BRF deu mais um importante passo na sua jornada da Indústria 4.0. A unidade em Lucas do Rio Verde (MT) passou a contar com ambiente 100% conectado de forma digital com todas as operações acompanhadas em tempo real via smartphone, do campo às linhas de produção. A digitalização abrange desde interações técnicas entre a BRF e seus integrados, até o acompanhamento do processo nas linhas de produção, finalizando no embarque dos produtos na frota da empresa. Essa iniciativa visa reduzir perdas e desperdícios diversos na cadeia produtiva. 

“Avançamos em direção à Indústria 4.0, com a implementação de tecnologias na fábrica, logística e digitalização das granjas para contato com os integrados no manejo das aves e suínos. Aprendemos, na prática, que incrementar eficiência nas fábricas depende de uma visão em tempo real de todo o processo produtivo para correção imediata de qualquer necessidade. Os benefícios decorrentes dessa iniciativa são o aumento da eficiência fabril e a redução dos custos operacionais. Como parte da estratégia de transformação digital, a BRF disponibilizou essa inovação para todos os produtores integrados e teve aderência de 81%”, reforça o VP de Operações e Suprimentos, Vinícius Barbosa.

A digitalização na unidade Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, estava prevista no plano estratégico que teve início há dois anos, colocando a Companhia na direção do protagonismo via utilização de máquinas inteligentes, análise computacional avançada e trabalho colaborativo para unir eficiência operacional e qualidade dos produtos. A partir daí, a transformação digital já no contexto da companhia, ganhou um ingrediente adicional para avançar no universo da Indústria 4.0.

No ano retrasado, a Companhia foi projeto piloto em auditoria remota totalmente digital com órgãos reguladores da China, quando a planta de Lucas do Rio Verde foi submetida à habitação para exportação. O frigorífico da BRF obteve a habilitação da planta pelo mercado oriental, em um processo que durou dois dias, por meio da utilização de câmeras de monitoramento e sistema de transmissão de informações em tempo real. Com isso, a transformação digital da BRF busca ainda soluções para otimizar diversas áreas, como logística, comercial, agropecuária, recursos humanos, além de outras.

Transformação na temperatura certa

O avanço nessa transformação chegou em outras unidades, que já utilizam tecnologias de software e iCloud para controlar por exemplo, o processo de resfriamento dos frangos nas unidades. A BRF também promove transformação digital, por meio de aplicativos que ajudam por exemplo a medir o tempo de cozimento de produtos. 

Além de Lucas do Rio Verde, umas das maiores unidades da América Latina, a empresa tem outros projetos piloto de indústria 4.0 nas unidades de Marau (RS) e Buriti Alegre (GO). A empresa também trabalha com projetos em desenvolvimento como a utilização de Advanced Analytics para gestão de análises estatísticas, através dos dados gerados a partir do desenvolvimento do Projeto Logística 4.0 com ferramentas: chatbot, machine learning e inteligência artificial.

“Todas essas tecnologias com impacto direto nos resultados da BRF, permitindo uma atuação de produção e abastecimento de forma cada vez mais eficaz e inteligente, trazem competitividade em custo para a cadeia de produção”, ressalta Antonio Cesco, diretor de Tecnologia da Informação da BRF.

Rastreabilidade digital no campo

Chamado de diário de bordo e cumprido na íntegra, as unidades da BRF têm suas rotinas na palma da mão. Por meio do app Agro BRF (disponível para sistemas Android e iOS), cada produtor rural pode monitorar o dia a dia de seu trabalho, como o acompanhamento dos alojamentos e dos animais (frangos e suínos), estoque de rações, pagamentos e conversas (formato de chat) com parceiros, entre outras funções. 

O time de Commodities da Companhia também está implementando diversas tecnologias de última geração, destacando o app comercial para grãos, que integra os times comerciais de campo e corporativo, auxiliando no acompanhamento das safras e ofertas destas commodities e tomada das melhores decisões de aquisição.

Frota segura e monitorada 

O uso inteligente dos dados é uma das mais importantes características da Indústria 4.0. Um desses casos se reflete no uso de tecnologia embarcada, por meio de telemetria e sensor de fadiga, para aprimoramento da segurança dos motoristas, parte do Programa de Saúde e Segurança. Em 2019, reflexo dessas e de outras ações, a BRF evoluiu nos indicadores de Saúde e Segurança em transportes, com 9% de redução nos acidentes, além de queda de 44% no prejuízo de sinistros (2019 x 2018). 

Etiquetas inteligentes

Como mais uma vertente da Indústria 4.0, a BRF adotou a padronização internacional GS1 de etiquetas, para garantir controles mais rigorosos e avanços tecnológicos em seus processos. Em implantação e com término previsto para agosto de 2021, esse modelo permite à empresa identificar o produto dentro da caixa e garantir a velocidade na rastreabilidade. Trata-se da busca pela eficiência produtiva, de logística e de qualidade na longa e complexa cadeia da Companhia. A adoção dessa padronização, inclusive, rendeu o Prêmio Automação 2019, da GS1 Brasil, na categoria Aplicação de Mercado, com o case de rastreabilidade de alimentos.

Sobre a BRF

Uma das maiores empresas de alimentos do mundo, a BRF está presente em mais de 130 países e é dona de marcas icônicas como Sadia, Perdigão e Qualy. Seu propósito é oferecer alimentos de qualidade cada vez mais saborosos e práticos, para pessoas em todo o mundo, por meio da gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa, que proporciona vida melhor a todos, do campo à mesa. Pautada pelos compromissos fundamentais de segurança, qualidade e integridade, a Companhia baseia sua estratégia em uma visão de longo prazo e visa gerar valor para seus mais de 95 mil colaboradores no mundo, mais de 300 mil clientes e aproximadamente 10 mil integrados no Brasil, todos os seus acionistas e para a sociedade.