Notícias

10/05/2019 10h00

RECEITA LÍQUIDA DA BRF ATINGE R$ 7,3 BILHÕES NO 1º TRIMESTRE DE 2019

Mercados brasileiro e muçulmano foram responsáveis pela expansão no período

Imagem de destaque

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, registrou crescimento de 4,7% na receita operacional líquida no primeiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano anterior, totalizando R$ 7,3 bilhões. A margem EBITDA, que mede a eficiência operacional da BRF, alcançou 10,2% e avançou 0,5 pontos percentuais sobre o início de 2018.

“O resultado do primeiro trimestre demonstrou a disciplina de execução da estratégia de longo prazo que desejamos e mostra que começamos a ver nos resultados da empresa os ajustes iniciados no ano passado.”, afirma o CEO global da BRF, Pedro Parente.

A performance da BRF nos três primeiros meses do ano foi impactada negativamente sobretudo pelas baixas contábeis referentes às vendas de ativos na Argentina, gerando um prejuízo consolidado de R$ 1 bilhão. Com isso, o índice de endividamento da companhia, medida pela razão dívida líquida e EBITDA ajustado, atingiu 5,64x. No entanto, considerando apenas as operações que vão compor a BRF após a finalização dos desinvestimentos, o resultado negativo cai para R$ 133 milhões.

“O cenário de 2019 desenha-se como muito positivo para o nosso negócio. Os próximos meses podem apresentar muitas possibilidades para as empresas de proteína animal, dada a safra de grãos abundante e a alta demanda na China. Estaremos bem posicionados para capturar essas oportunidades e sempre com  uma visão realista do mercado e do nosso negócio”, completa Lorival Luz, COO Global da BRF.

Mesmo diante da pressão do custo dos grãos, que foi de 35% no período, a BRF conseguiu mostrar melhora no desempenho operacional na margem bruta, que subiu um ponto percentual, fechando em 20,6%. Milho e farelo de soja compõem cerca de 65% do custo do animal vivo, o que configura uma maior complexidade ao negócio. Além disso, o primeiro trimestre é tradicionalmente mais fraco que os demais dado sua sazonalidade e a acomodação dos estoques pelos varejistas.

Os números apresentados nos últimos três trimestres demonstram que a BRF está no caminho para atingimento do potencial máximo de rentabilidade. A margem EBITDA ajustada passou de 7,5% no terceiro trimestre de 2018 para 10,2% no primeiro trimestre de 2019. Com isso a empresa se mantém na trajetória anunciada em seu planejamento estratégico no ano passado de interromper a queda de margem este ano, retomar para a média histórica em 2020 e operar acima disso a partir de 2021.

Sobre a BRF

Maior exportadora global de frango do mundo, a BRF está presente em mais de 140 países e é dona de marcas icônicas como Sadia, Perdigão e Qualy.  Seu propósito é oferecer alimentos de qualidade cada vez mais saborosos e práticos, para pessoas em todo o mundo, por meio da gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa, que proporciona vida melhor a todos, do campo à mesa. Pautada pelos compromissos fundamentais de segurança, qualidade e integridade, a Companhia baseia sua estratégia em uma visão de longo prazo e visa gerar valor para seus 90 mil colaboradores, mais de 12 mil integrados, mais de 250 mil clientes no mundo, todos os seus acionistas e para a sociedade.

Contatos Imprensa

Nome: Livia Hormigo
E-mail: livia.hormigo.ext@brf-br.com
Telefone: (11) 2322-5397